Big data na logística: exemplos e como otimizar a operação

Caso a sua empresa tenha um plano de desenvolvimento e crescimento a médio e longo prazo e queira montar estratégias sólidas e planos de ação que façam sentido, saiba que o Big Data aliado à Logística é essencial.

A tecnologia cresce a cada dia e, com isso, os dados coletados na internet, consequentemente, aumentam exponencialmente.

Big Data e Logística 4.0 andam lado a lado! Com dados, as empresas conseguem tomar decisões e estratégias voltadas aos negócios.

Quem trabalha na liderança de logística sabe que precisa contar com um excelente Big Data para alavancar os negócios! É muito comum ver gestões na logística que são totalmente baseadas em números!

Mas, para que serve o Big Data na Logística? É com a ajuda desses dados que as empresas e os gestores têm a possibilidade de maximizar o controle sobre a cadeia de suprimentos, agilizar e ganhar escala em serviços operacionais e até ter mais agilidade com precisão na entrega dos produtos.

Ficou interessado em saber mais detalhes sobre o Big Data e como isso pode impactar positivamente a sua empresa? Continue lendo o nosso conteúdo, pois iremos falar com mais detalhe o que é Big Data, como ele está atrelado à Logística 4.0, como usar o Big Data para gerenciamento de estoque e muito mais!

O que é Big Data?

Antes de entender um pouco mais sobre a utilização do Big Data na Logística, falar sobre o conceito generalista é importante.

O Big Data, de forma ampla, funciona como um grande aglomerado de dados, unido de forma organizada e com muitos desdobramentos. Esses dados são gerados por meio de apps de celulares, sistemas de computadores, tv’s, celulares, aparelhos com IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas), entre outros.

Pense no seguinte: cada movimento que uma pessoa realiza em um desses sistemas listados é um rastro para, automaticamente, ser guardado e virar um dado de análise. Na Logística, isso pode ser extremamente útil.

Diante de todo esse compilado de informações, todos esses dados podem – e devem – ser usados de maneira benéfica para auxiliar na resolução de problemas, elaboração de estratégias, que a sua empresa, provavelmente, não conseguiria resolver sozinha.

O que é Big Data na logística?

Agora que foi possível entender o conceito de forma macro, que tal aprender o que é Big Data na logística? Assim como vários setores da indústria, a Logística também passa por um momento de atualização e, principalmente,  de automação dos processos. Isso só acontece por meio de novas tecnologias e, claro, do uso massivo de dados.

Mas, como é aplicado, na prática, o Big Data na Logística 4.0?

Basicamente, precisa-se entender que esse conjunto de dados, aliado a outras soluções, como inteligência artificial, internet das coisas, machine learning auxilia na prevenção à perdas e avarias, além de problemas que podem acontecer no dia a dia de atividades logísticas.

Também podemos citar alguns ganhos que impactam, inclusive, na jornada de compra do cliente, fazendo com que as empresas consigam gerar mais satisfação ao cliente por meio de entregas mais assertivas, por exemplo.

Em suma, a tecnologia gerada por meio do Big Data na Logística pode identificar  incontáveis ruídos ou falhas no processo, fazendo com que as decisões tomadas tenham embasamento, assertividade e ajudem no crescimento da empresa.

04 formas de utilizar o Big Data na Logística

Para facilitar, ainda mais, o entendimento do Big Data no ramo da Logística, que tal ver na prática como essa tecnologia pode trazer ganhos no dia a dia?

Listamos abaixo 4 formas de utilizar o Big Data. Confira

1. Análise de eficiência na operação

Quando falamos em Logística, uma das principais características de um time é a eficiência operacional. Por meio do Big Data, os coordenadores de logística, por exemplo, obtêm informações qualificadas sobre o andamento dos setores de forma detalhada.

Assim, conseguem ver o que está fluindo bem, o que está com erros e precisa ser ajustado, o que pode ser melhorado, como trazer eficiência para um processo, etc. Tudo isso torna a parte de eficiência operacional mais fluida e qualitativa.

2. Valorizar a jornada do cliente

Não tem como falar em melhorias e otimizações de processos sem citar a jornada do cliente. Valorizar a experiência dos consumidores sempre será uma tendência, mas vem mais forte em 2023, segundo assuntos debatidos na NRF, maior evento de varejo do mundo.

Além da experiência para o cliente, o Big Data é uma das principais tendências para 2023.

Por meio do Big Data na Logística é possível identificar as melhores respostas para que a sua empresa ofereça um diferencial competitivo e esteja à frente dos concorrentes. Alguns exemplos foram listados abaixo:

  • Minimizar o tempo da conversão de um lead;
  • Entregas mais rápidas e eficientes;
  • Preço de frete reduzido.
 
3. Qualidade na entrega final ao cliente

Esse tópico está muito atrelado ao que citamos acima: satisfação do cliente. Com o Big Data para Logística, a sua empresa ou mesmo os gestores do seu time, conseguem aumentar, substancialmente, a qualidade da entrega final ao cliente.

Mas, como isso é feito? Por meio dos dados, é possível identificar alguns padrões de entrega. Dessa forma, traçar as rotas de distribuição de maneira mais eficiente, distribuir cargas uniformemente e até gastar menos combustível.

4. Ser transparente e confiante

Quem tem confiança, tem tudo. E o Big Data da Logística tem grande poder de gerar essa conexão de segurança nas pessoas.

Todos sabemos que a logística é um processo que, no final das contas, tudo está ligado de alguma forma. Como em todas as etapas há muita informação e muitas pessoas/empresas envolvidas, qualquer mínimo erro pode acarretar um grande problema!

Agora, se você possui uma clara gestão de dados, você tem a chave para passar uma mensagem de confiança e transparência ao mercado, garantindo o cumprimento dos prazos.

Como realizar análise de dados logísticos?

A análise de dados na logística é de suma importância, ainda mais quando feita de maneira estratégica, pois, por meio dela, é possível desenvolver lógicas e planos eficientes dentro da operação.

Não é incomum identificar ou encontrar empresas que atuem de forma tradicional, baseada até em percepções e conhecimento histórico, seja de gestores de frota ou até de motoristas. Mas com o Big Data envolvendo a Logística, isso não deveria mais acontecer.

O processo de análise de dados logísticos deve ser feito por pessoas capacitadas e que consigam visualizar estratégias claras por meio de números. O auxiliar de logística, por exemplo, é um desses profissionais.

Big Data e o gerenciamento de estoque: como realizar?

Claro que não seria possível falar de Big Data e gerenciamento de estoque. Por meio desses dados, quando falamos em estoque, é possível ter uma previsão e insights de como a demanda de um determinado cliente pode crescer – ou diminuir – ao longo do tempo.

Isso ajuda a planejar e antecipar entregas, turnos de funcionários que atuam neste setor, além do reabastecimento de estoque, garantindo assim, possíveis reduções de custos.

Ao se referir diretamente sobre o Big Data e gerenciamento de estoque, os profissionais possuem uma previsão relacionada ao armazenamento, entrada e saída de produtos. Esse controle e a previsão controlam a quantidade e evitam stock outs.

Gostou do post de hoje? Então, continue acompanhando nosso blog, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos como este.

Entre em contato conosco 📞 (35) 3421-4657 ou 📲 (35) 9 9819-9092 e conheça nossas soluções em logística.

Compartilhe

Deixe um comentário