Blockchain em logística: agilidade e segurança para o armazém

O blockchain em logística é a nova aposta tecnológica para aumentar a agilidade e a segurança na troca de informações. Também denominado cadeia de blocos, permite reforçar uma comunicação mais eficaz entre fornecedores, empresas e consumidores. A consultora americana Gartner calcula em mais de 176.000 milhões de dólares o valor que essa tecnologia adicionará à indústria até 2025.

No conteúdo de hoje definimos o conceito blockchain e seus benefícios e aplicações ao longo da cadeia de suprimentos.

O que é o blockchain aplicado à logística?

A rede de blockchain é um conjunto de computadores ou nodos conectados entre si que utilizam um protocolo comum para validar e armazenar as mesmas informações em uma rede peer-to-peer (P2P).

As informações registradas em cada nodo são compartilhadas pelos restantes nós da rede. Cada vez que um dispositivo insere um novo dado, este é transmitido de forma encriptada a toda a rede para ser validado individualmente.

O que isso implica? Esse sistema não precisa de nenhuma fonte externa para autenticar as informações, uma vez que cada nodo atua como um verificador de dados, o que impede qualquer tipo de manuseio indesejado da informação.

O funcionamento do blockchain facilita o estabelecimento de uma rede interconectada com três características essenciais: pública, anônima e descentralizada.

Mas, como essa tecnologia melhora as operações logísticas? Com a implantação do blockchain em logística, a comunicação entre os agentes da cadeia de suprimentos será:

  • Mais segura: essa tecnologia não admite alterações nas informações, o que impede a eliminação dos dados já inseridos.
  • Mais transparente: tudo ficará registrado em cada um dos nodos que formam a rede.
  • Mais eficaz: as informações devem ser verificadas automaticamente pelos diferentes dispositivos que intervêm na rede de blocos, o que evita esperar que um terceiro valide os dados.
 
Aplicações do blockchain na cadeia de suprimentos: ‘smart contract’

Uma transferência de informações precisas e ágeis entre os diferentes nodos e agentes que formam a cadeia de suprimentos permite aumentar a produtividade do armazém e eliminar os erros nas operações logísticas.

Além disso, o blockchain introduziu no setor um novo conceito de colaboração entre empresas: os smart contracts. Esses acordos surgem com o objetivo de reduzir custos para o consumidor final, eliminando intermediários e simplificando processos.

Tecnologicamente, os contratos inteligentes são programas informáticos. Neles, as diferentes partes definem o objeto do acordo, as ações que possam ser realizadas no mesmo e as cláusulas de aplicação. Ao cumprir-se alguma das condições previstas, as cláusulas vinculadas são executadas automaticamente.

Ao surgir em um ambiente de blockchain, esses contratos são imutáveis: são distribuídos entre todos os nodos da rede que, após verificar as informações, os validam e evitam que posteriormente possam ser manuseados por alguma das partes.

Apesar de estarem sujeitos aos contratos legais, esses códigos informáticos se consolidaram como uma solução para agilizar processos entre diferentes empresas, especialmente com a inclusão de dispositivos da Internet das Coisas Industrial (IIoT).  Mas, quais os benefícios de aplicar esses contratos inteligentes às operações logísticas?

  • Eliminar erros e fraudes nos acordos entre fornecedores e clientes: a cadeia de bloco garante que não ocorram falhas ou alterações nos contratos e em sua execução.
  • Multiplicar a produtividade: o blockchain, junto a outras tecnologias como o 5G ou a IIoT, facilita a automação completa do armazém, originando um aumento exponencial da produtividade e a eficácia na instalação.
  • Evitar o excesso de documentação: ao ser um documento virtual se reduz o uso do papel e os acordos são renovados automaticamente, desde que se satisfaçam as condições predeterminadas.
 

Até o momento, a tecnologia de informação em blocos vem ganhando uma maior relevância em setores que exigem uma troca de dados eficaz, ágil e segura. Por exemplo: no comércio internacional, na distribuição da última milha ou na rastreabilidade de produto, entre outros.

Blockchain: rastreabilidade e transparência para a indústria

A cadeia de blocos poderia consolidar-se como o canal de informação entre todos os agentes que operam na cadeia de suprimentos, proporcionando uma via segura para registrar os dados de mercadorias e contratos ao longo de toda a fase logística.

Dessa forma, em conjunção com todos os elementos da IIoT (robôs móveis, sensores, robótica, etiquetas inteligentes ou outros dispositivos controlados pelo WMS), o blockchain permite:

  • Aumentar a produtividade, poupando tempo e dinheiro: uma rede mais potente e segura de transferência da informação permite que a automação do armazém funcione de forma mais eficaz, com mais ciclos e menos erros.
  • Maior confiança e transparência no supply chain: a troca de informações entre os diferentes agentes é realizada mediante um conjunto de nodos que verifica cada novo dado registrado.
  • Rastreabilidade em tempo real: graças à interconexão entre todos os participantes da rede, a empresa exerce um controle na rastreabilidade do produto em tempo real, o que implica um serviço mais ágil e eficaz para o cliente final.
 

Junto a essas vantagens, o blockchain utiliza os smart contracts para elaborar acordos benéficos para todos os agentes da cadeia de suprimentos, garantindo simultaneamente o cumprimento das regulações vigentes. Em suma, agilidade, transparência e segurança a serviço da logística 4.0.

Gostou do post de hoje? Então, continue acompanhando nosso blog, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos como este.

Entre em contato conosco 📞 (35) 3421-4657 ou 📲 (35) 9 9819-9092 e conheça nossas soluções em logística.

Compartilhe

Deixe um comentário